À espera de Deus

14 06 2008

 

No centro do meu coração tenho um trono místico para ti.

As velas das minhas alegrias estão levemente acesas

na esperança da tua vinda.

Elas brilharão mais forte quando apareceres.

Quer venhas quer não, esperarei por ti até

que as minhas lágrimas derretam toda a baixeza material.

Para te agradar, as minhas lágrimas

perfumadas de amor lavarão os teus pés de silêncio.

O altar da minha alma será mantido vazio.

Até vires não falarei. Nada te pedirei.

Aperceber-me-ei de que conheces as angústias

do meu coração enquanto espero por ti.

Sabes que estou a rezar. Sabes que não amo mais ninguém.

Mesmo assim, quer venhas até mim quer não,

esperarei por ti, ainda que por toda a eternidade.

 

   Paramahansa Yogananda (1893-1952), mestre de yoga, indiano

 

Ir. Maria dos Anjos, p. m.

irmanjosalves@hotmail.com

 

Anúncios